“Vou fazer uma coisa terrível amanhã na praia da Luz, é horrível mas tenho que fazê-lo e vai mudar a minha vida” confessou Christian Brueckner, o alemão que está na mira das autoridades por se tratar do principal suspeito de ter raptado e matado a Madeleine McCann.

A confissão terá sido a uma namorada, a 2 de maio de 2007, no dia antes do desaparecimento da pequena Maddie, que tinha apenas 3 anos na altura e que desapareceu de um aldeamento turístico numa vila de Lagos.

A mulher britânica, uma ex-namorada de Christian que namorava com ele na altura, afirma também ter perguntado se tinha sido ele a raptar a criança, ao que Christian terá avisado: “Apenas não vás lá”.

A polícia alemã iniciou nesta segunda-feira buscas com recurso a retro-escavadoras numa habitação perto de Hanover, na Alemanha, numa propriedade que pertencia ao suspeito.

Os trabalhos começaram no local na segunda-feira (27) e devem continuar até quarta-feira (29).

A Polícia Judiciária (PJ) reabriu a investigação em 2013, depois de o caso ter sido arquivado pela Procuradoria Geral da República em 2008, ilibando os três arguidos, os pais de Madeleine, Kate e Gerry McCann, e um outro britânico, Robert Murat.

Christian Brueckner, de 43 anos, residiu em Portugal entre 1996 e 2007, e conta com antecedentes criminais: atualmente está detido na Alemanha por outros crimes, incluindo a violação de uma idosa também no Algarve.

DEIXE A SUA OPINIÃO