Em 2017 arderam mais de 440 mil hectares de floresta e povoamentos

Homem, hoje sem abrigo, morava na Quinta do Pisão, no Ervedal, Oliveira do Hospital. A casa onde vivia foi consumida pelas chamas na sequência dos incêndios de outubro de 2017.

Jan Roosenboom, vítima dos incêndios de 2017, foi encontrado pelas ruas de Lisboa pelo fotógrafo Pedro Abranches.

“Enquanto vagueava pelas ruas de Lisboa a tirar fotografias encontro um sem abrigo, e como gosto de saber as histórias resolvi sentar-me ao lado dele e perceber o que sucedeu, alheio aos olhares de espanto de alguém de fato estar sentado ao lado de um sem abrigo”.

Fotografia: Pedro Abranches

Com o desenrolar da história do sem abrigo, Pedro ficou incrédulo e tentou ajudar o homem.

“Este senhor desabafou que vivia numa quinta e que perdeu tudo nos incêndios de 2017, depois de me ter contado que era amigo até do presidente da câmara e que ia lá a casa deles aos fins de semana, depois do incêndio como o terreno onde estava a viver estava em nome do pai não lhe foi dada casa nem qualquer ajuda”.

O fotografo decidiu partilhar a história nas redes sociais, de forma a tentar descobrir mais informações sobre este homem que tinha ficado sem teto devido aos incêndios de 2017 que consumiram centenas de milhares de hectares de florestas e povoamentos em Portugal.

A história chegou até Nuno Pereira, que reconheceu o atual sem abrigo. Tinha-o ajuda depois deste ter ficado sem nada. “Em Outubro de 2017, dei-lhe um colchão e 2 paletes, com mais umas árvores. Foi somente o que me pediu”.

Comovido com o triste desfecho que este homem teve, Nuno garante que não vai desistir dele.

“Fiquem cientes que não vou desistir dele, nem de todos os outros que precisam. Sei que vão sempre tentar armadilhar o caminho da verdade, mas nunca a dignidade humana. Agradeço que partilhem, porque o “João” está no lugar onde podia estar qualquer um de nós, caso não tivesse apoio. #Vergonha”, friza.