Crianças acabaram por admitir que se tratou tudo de uma mentira.

Um homem de nacionalidade russa foi abusado e espancado até à morte com recurso a um tubo de ferro pelos pais de duas menores, que terão mentido dizendo que o homem lhes tinha tocado de forma imprópria. O caso aconteceu na Rússia.

De acordo com as autoridades o homem é inocente de quaisquer abusos às duas meninas, de três e dez anos, que posteriormente terão admitido que inventaram a mentira e que se tratava de uma piada.

Dmitry Chikvarkin, a vítima mortal de 48 anos, camionista de profissão, era amigo dos pais das menores, Valeria Dunaeva, de 25 anos, mãe da menina de três anos, e Sergei Chabin, de 33 anos, pai da criança mais velha. O russo tinha dado boleia às duas amigas a pedido dos pais, que são namorados, e foi deixá-las a casa da família.

Nessa altura, a menina de 10 anos terá dito que Dimitry lhes tinha tocado “abaixo da cintura de forma imprópria”. Valeria contou ao companheiro, e ambos ficaram furiosos, decidindo fazer ‘justiça’ pelas próprias mãos para castigar o suposto pedófilo.

Os casal juntou mais três amigos e, segundo a polícia local, “primeiro violaram-no com um tubo metálico e depois usaram o mesmo objeto para o espancar, esmagando-lhe o crânio”. Dimitry ainda foi levado ao hospital, mas morreu pouco depois de chegar às urgências. As lesões na cabeça eram demasiado graves.

A polícia abriu uma investigação e as jovens terão confessado que tudo passou de uma mentira, uma história que inventaram, “uma piada”.

“Ele só quis ajudar os amigos, dando boleia às crianças, e acabou morto. Ele nunca faria mal a ninguém, quanto mais uma criança”, revela um amigo à impressa local.

Dimitry deixa órfã uma filha de seis anos. Os pais das duas meninas, assim como um dos amigos envolvidos no homicídio já foram detidos. Estão todos acusados de homicídio qualificado e aguardam julgamento em prisão preventiva.

DEIXE A SUA OPINIÃO