fbpx

Vice Presidente de Vila de Rei arrasa estado: “Estou farto de ver o Estado voltar a falhar às populações…”

Vice-presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei direciona acusações ao Governo.

Paulo César, vice-presidente da Câmara Municipal de Vila de Rei, afirmou que aquele concelho está farto de enfrentar as chamas ano após ano e garantiu que o “Estado voltou a falhar” na prevenção dos fogos de grandes dimensões que deflagraram este fim-de-semana.

“O concelho está farto, como diz o nosso presidente da Câmara (Ricardo Aires). Está farto destes sucessivos incêndios com origem criminosa e está farto de ver o Estado voltar a falhar às populações”, referiu o autarca de em declarações à imprensa.

Já foi dominado cerca de 90% do incêndio que deflagrou durante o início da tarde deste sábado em Vila de Rei e que se alastrou para Mação. Foram vários os esforços realizados pelos operacionais dos bombeiros e pela população que, durante a passada noite, tentaram defender as suas casas.

O autarca aproveitou o momento para agradecer e reconhecer o trabalho de todos os bombeiros e voluntários que se esforçaram para combater as chamas, no entanto, não escondeu a sua indignação com a lamentável situação.

Foram encontrados vários artefactos explosivos que podem estar na origem das chamas que deflagraram praticamente ao mesmo tempo diversas frentes de incêndio em Vila do Rei e Sertã.

O Estado falhou às populações. O país inteiro falhou. Nós falhámos”, referiu o autarca, que considerou que é preciso atuar com mais eficiência na prevenção dos incêndios e castigar exemplarmente os incendiários.

Paulo César destacou ainda a necessidade de reforçar os meios de combate no terreno e explicou que a existência de muitas frentes de fogo deixou desprotegidas as populações “de 30 ou 40 aldeias” de Vila de Rei e concelhos vizinhos.

O autarca referiu que ainda estão a ser apurados os prejuízos no seu concelho e lembrou que o fogo ainda não foi considerado extinto.

O incêndio de Vila de Rei e Mação é o único que continua por controlar e tem mobilizado várias centenas de operacionais e de meios de combate.




Artigos relacionados