Testemunha que viu o homem passar com a criança ao colo afirma que não se tratava do predador alemão.

Uma das testemunhas mais importantes da Operação Grande, das autoridades inglesas, que investigam o desaparecimento de Maddie McCann garante que Christian Brueckner, o alemão predador que é o novo suspeito de ter raptado a menina, não corresponde ao homem que viu na noite do desaparecimento da mesma.

Martin Smith e a sua família foram das primeiras pessoas a ser questionadas pelas autoridades portuguesas. O empresário irlandês garantiu ter visto um homem a passar numa rua ao lado do Ocean Club com uma menina de pijama ao colo e que parecia estar a dormir.

Isto terá acontecido pouco tempo depois da hora em que a criança desapareceu do quarto onde dormia, na Vila da Luz. As características deste suspeito foram descritas por Martin e o retrato robô resultante circulou por todo o mundo, com novo fôlego em 2013.

A mesma testemunha garante agora que o suspeito que viu na altura não se trata de Christian Brueckner, o novo suspeito do desaparecimento da menina.

No depoimento que deu às autoridades sobre a noite do dia 3 de maio de 2007. Martin conta que viu um homem alto e moreno, com entre 1,70 e 1,80 metros de altura, com uma criança de pijama cor de rosa ao colo, a 150 metros do Ocean Club.

“Foram-me mostradas as fotografias divulgadas, mas tudo o que me recordo é o que está no depoimento à polícia. Não há nada que possa acrescentar sobre isso, já foi há 13 anos. Mas sei que não reconheço este homem [Christian Brueckner]. Não é ele o homem que vi”, a testemunha em entrevista à imprensa inglesa.

O mesmo explica ainda que, desde que foram reveladas as novas pistas e informações sobre o caso, quer as autoridades inglesas quer as autoridades alemãs não entraram em contacto com ele.

DEIXE A SUA OPINIÃO