fbpx

Terminada investigação de fraude em Pedrógão. 44 arguidos acusados de desviar dinheiro

A investigação aos fundos doados para as habitações destruídas pelo fogo de 2017 está agora concluída pela Polícia Judiciária.

Segundo a Polícia Judiciária anunciou hoje, no total, foram constituídos 44 arguidos no inquérito às alegadas irregularidades na atribuição de subsídios para a reconstrução ou reabilitação de habitações destruídas pelo fogo de 2017 em Pedrógão Grande.

Num comunicado, a Polícia Judiciária revela que, através da Diretoria do Centro, “finalizou e remeteu ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Coimbra, com proposta de acusação, o inquérito no âmbito do qual se investigaram eventuais crimes de burla qualificada, entre outros, referentes à atribuição de subsídios para a reconstrução ou reabilitação de habitações permanentes que teriam sido afetadas pelo incêndio de Pedrógão Grande”, que se encontram em Pedrógão Grande, Castanheira de Pêra e Figueiró dos Vinhos.

“Os apoios requeridos respeitavam sobretudo a verbas afetas ao Fundo Revita, constituídas por donativos, assim como verbas geridas por outras entidades, nomeadamente IPSS [Instituições Particulares de Solidariedade Social]”.

Segundo a Polícia Judiciária, a “investigação revelou-se de elevada complexidade, decorrente dos inúmeros casos que houve necessidade de analisar”, sendo o processo composto por oito volumes, 89 apensos e 21 anexos.

“No âmbito das diligências investigatórias realizadas, procedeu-se designadamente à realização de buscas, recolha de prova documental e pessoal, tendo sido inquiridas 115 testemunhas e constituídos e interrogados 44 arguidos”.




Artigos relacionados