fbpx

“Senti a morte na pele”: Mulher confessa ter sofrido agressões do marido na farmácia onde trabalhavam

Esta noite, o Correio da Manhã revelou um caso de violência doméstica que durou mais de três anos.

O homem, agredia a mulher à frente dos outros trabalhadores da farmácia, onde ambos trabalhavam, no Porto.

A mulher, era vítima de agressões física e psicológica e ficou com marcas para toda a vida.

A agressão mais grave aconteceu há 5 meses e agora, o farmacêutico violento foi formalmente acusado de violência doméstica.

Carla Angelina conheceu o farmacêutico, praticante de artes marciais, em 2006, contudo, começaram a namorar apenas em 2015, e casaram pouco depois, em setembro do mesmo ano.

Dois meses após o casamento, surgiu a primeira agressão, e a partir daí, até 2018, foram-se repetindo várias vezes.

A agressão mais grave aconteceu no interior da farmácia, onde após uma discussão entre o casal, Carla foi alvo de uma cabeçada, e enquanto estava inconsciente no chão, foi pontapeada várias vezes, acabando por ter que realizar uma cirurgia e ficar internada durante 10 dias.

As trabalhadoras da farmácia que ficaram em pânico tentaram ajudar Carla, no entanto foram empurradas. Serão agora testemunhas no processo em que o arguido irá responde pelo crime de violência doméstica agravada.




Artigos relacionados