fbpx

Segurança que disse que levaria menina perdida à mãe abusa sexualmente dela

Um segurança foi preso por quatro anos e meio depois de abusar de uma menina de três anos de idade.

O homem, terá recebido um alerta em dezembro de 2016 de que uma menina de três anos estaria a brincar sozinha num parque infantil do centro comercial.

O jornal australiano The Sydney Morning Herald, avança que o homem se aproximou da menina e falou com ela, pouco depois, terá calçado os sapatos e deu a mão ao suspeito.

Através das câmaras de vigilância, é possível ver o homem de 30 anos a levar a criança por um corredor isolado, na zona de uma escada de incêndio, onde acaba por abusar sexualmente dela.

Na terça-feira, o juiz John Pickering classificou o crime como “o pior pesadelo de todos os pais”, ao prender Al Bayati por quatro anos e meio, com a obrigação de cumprir um período de não-liberdade condicional de dois anos e meio.

Ele disse que Al Bayati teve a “audácia” de cometer a ofensa, em primeiro lugar, e depois a temeridade de dar uma lição à mãe da menina sobre deixar a criança desacompanhada quando a levou de volta para a área de recreação após o abuso.

“O agressor ainda teve a coragem de ensinar a mãe sobre o perigo ou o risco de deixar a criança no centro quando ele acabou por ser o maior risco para ela, isto é um dos fatos mais curiosos nesta matéria,” revelou o Juiz Pickering.

Al Bayati, um refugiado iraquiano que chegou à Austrália de barco há uma década, continua a negar ter abusado a menina. “Por que faria isso? Basta ver o meu telemóvel e ver quantas mulheres tenho”. disse o agressor.




Artigos relacionados