O coletivo que vai julgar Rui Pinto, no Campus e Justiça, decidiu esta sexta-feira a libertação imediata do hacker.

Rui Pinto encontrava-se em prisão domiciliária num anexo junto à PJ desde abril deste ano. O jovem está acusado 90 crimes e vai agora aguardar julgamento em liberdade. A juíza de instrução criminal (JIC) Cláudia Pina deixou cair da acusação 57 dos crimes.

Rui Pinto fica assim acusado de seis crimes de acesso ilegítimo, um de sabotagem, 14 de violação de correspondência, 68 de acesso indevido e um de extorsão.

Relembre-se que Rui está preso desde 22 de março de 2019 até 8 de abril deste ano, dia em que foi colocado em prisão domiciliária. O jovem ficou ainda impedido de aceder à internet e de ter acesso a dispositivos que o permitam.

DEIXE A SUA OPINIÃO