fbpx

República Dominicana: Jovem adolescente de 15 anos entrou em coma após ficar misteriosamente doente

Uma adolescente entrou em coma durante as férias na República Dominicana, os médicos apontam para uma condição diabética com risco de vida – apesar da sua família dizer que ela não tem histórico de diabetes.

Candela Saccone, 15 anos, natural da Argentina, tinha programado regressar de Punta Cana para casa a 19 de junho, depois de viajar para lá no início da semana, contudo, acabou por adoecer naquela manhã.

A sua mãe, Natalia Knetch, disse ao canal de notícias espanhol da CNN que ela levou a adolescente – que apresentava sintomas de tontura, desidratação e vómitos – a um centro médico local, onde os médicos a diagnosticaram com cetoacidose diabética.

A condição é descrita online pela Clínica Mayo como uma “séria complicação do diabetes que ocorre quando o corpo produz altos níveis de ácidos no sangue chamados cetonas”. Normalmente, ele desenvolve-se “quando o corpo não consegue produzir insulina suficiente”, diz a clínica.

Candela terá sido transportada de Punta Cana para o Hospital Geral da Plaza de la Salud em Santo Domingo – com as autoridades argentinas alegando que o centro médico inicial “não tinha equipamento suficiente para tratá-la”. Não ficou claro o momento exato em que ela entrou em coma, no entanto sabe-se que a adolescente ainda estava inconsciente e em estado crítico na terça-feira, ainda que estável e com alguns sinais de melhora, segundo a CNN.

O Ministério das Relações Exteriores da Argentina confirmou os detalhes da situação de Candela na segunda-feira.

A sua mãe disse que Candela de repente tinha ficado doente à noite antes de partirem. Ela teria perdido o apetite e estava a sofrer de um desconforto extremo na garganta – a ponto de não conseguir engolir, disse a mãe.
A ministra da Saúde da República Dominicana visitou a família de Candela na segunda-feira e disse à CNN que estava “sob controle num centro hospitalar de alta qualidade”.

A hospitalização da adolescente não poderia ter ocorrido em momento pior para a República Dominicana, que tem visto uma tendência preocupante de mortes e doenças de turistas relatadas recentemente. O ministro da Saúde, Rafael Sánchez Cárdenas, insiste que os casos não estão relacionados.

“O que temos aqui? Turistas que chegam com condições preexistentes e morrem neste país como em todos os países ”, disse Cárdenas à CBS News na segunda-feira por meio de um tradutor.

O FBI está a investigar se alguma das mortes relatadas está vinculada. Agentes têm testado toxicologia em minibares de resort para ver se o álcool contaminado é possivelmente o culpado.

Até agora, pelo menos 11 pessoas perderam a vida enquanto estavam de férias no República Dominicana. Dezenas mais ficaram doentes.




Artigos relacionados