Uma mãe da Flórida, nos Estados Unidos, é acusada de deixar a sua filha recém-nascida num carro quente a morrer enquanto se tinha ausentado para se drogar com metanfetamina e masturbar-se no quarto.

A mulher teria deixado o seu recém-nascido, McKinley Garner, num veículo na Cidade do Panamá por quase quatro horas no passado dia 2 de setembro, dia em que as temperaturas chegaram aos 32ºC naquele estado.

Megan Dauphin, de 30 anos, natural de Panama City, na Florida, foi surpreendida por uma testemunha no quarto da sua casa, enquanto consumia metanfetaminas e se masturbava. A testemunha terá perguntado à mulher onde estava a filha, a pequena McKinley Garner, e Megan disse “Oh meu Deus! Esqueci-me”, antes de sair a correr de casa. A bebé foi encontrada já sem vida no interior da viatura.

A mãe foi detida na terça-feira e acusada de homicídio culposo do seu filho, que nasceu a 14 de julho. Dauphin está detida sem fiança na prisão de Bay County.

Dauphin deve fazer sua primeira aparição no Tribunal do Condado de Bay na tarde de quarta-feira, onde deve agir como sua própria advogada, de acordo com os registros do tribunal.

“A Megan que eu conheço nunca faria uma coisa assim. Imagino aquela menina, tão pequenina, embrulhada num cobertor, ter a vida roubada por causa da mãe, é perturbador”, conta uma amiga da norte-americana ao jornal Metro. Megan está acusada de negligência infantil e homicídio.