fbpx

“Pensei que não me ias salvar porque sou negro”

De Espanha chega-nos uma história de um salvamento heróico e de um desabafo de uma criança, em Can Pere Antoni, Palma de Maiorca.

A heroína, Macarena Cabrujo, tem 25 anos e é nadadora-salvadora. Na segunda-feira, quando estava na praia com um amigo, apercebeu-se de alguma agitação na água e que alguém estava em dificuldade.

A jovem encontrava-se a jogar voleibol pela praia, após o seu turno de nadadora-salvadora ter terminado.

Macarena pediu para que chamassem o 112 e, apesar do mar estar muito agitado, mergulhou. “O mar estava muito forte. Eu sabia o risco que corria”, contou ao Diário de Mallorca.

Com o mar a dar grande luta, a jovem conseguiu levar a criança até uma bóia de segurança. Depois a outra. Mas entre uma bóia e outra ouviu da criança um comentário que a surpreendeu: “pensei que não me ias salvar porque sou negro”.

Quando conseguiu alcançar, a criança já mal se segurava à tona da água. “Quando cheguei a ele já não podia mais e afundou-se. Agarrei-o e tirei-lhe a cabeça da água”, explicou a nadadora-salvadora.

O esforço da jovem está a ser elogiado pela imprensa e população espanhola, mas também pela polícia de Maiorca, que acorreu ao local e prestou assistência ao menino, e que deixou nas redes sociais imagens do salvamento e um elogio à socorrista. “Já tinha terminado o seu dia de trabalho, mas a vocação e o sentido de dever não conhecem horários. Final feliz”. Assim foi.




Artigos relacionados