Pedro Daniel Ferreira, 38 anos, faleceu esta segunda-feira devido a inalação de fumos num incêndio que é combatido por mais de 300 operacionais dos bombeiros.

Pedro Daniel Ferreira tinha 41 anos, grande parte dos quais passados nos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades. Integrava actualmente o quadro da corporação. Faleceu, durante a tarde desta segunda-feira, no incêndio que lavra, desde as 11h24, em Antelas, Oliveira de Frades, devido à inalação de fumo.

O bombeiro foi dado como desaparecido ao início da tarde e foi encontrado já sem vida pelas 14h20. Era casado com Cecília Farreca e pai de um menino de 8 anos.

“Era um dos meus homens, da minha corporação. Era um bombeiro profissionalizado, pertencia à Equipa de Intervenção Permanente (EIP) e estava com os colegas no combate e ao que parece desviou-se um bocadinho para a direita e, às tantas, são surpreendidos por trás e ele fugiu para a frente”, relevou o comandante dos Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades.

O comandante, Fernando Farreca explicou ainda que “foi aí que ficou desaparecido por algum tempo,” uma vez que “a restante equipa estava mais desviada e conseguiu escapar”. E “ele acabou por morrer mais à frente asfixiado, porque não tinha queimaduras no corpo”.

“Foi o fumo”, acrescentou Fernando, que disse que o bombeiro tinha desaparecido “um par de horas antes”.

A morte de um bombeiro da corporação de Oliveira de Frades num incêndio florestal em Antelas mereceu reacção do Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que emitiu uma nota de pesar pela perda.

“Recebi, com muita tristeza, a notícia da morte do bombeiro Pedro Daniel Ferreira, do Corpo de Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades, durante as operações de combate ao incêndio que deflagrou esta segunda-feira no concelho de Oliveira de Frades, distrito de Viseu. Endereço os meus sentidos pêsames à família, amigos e ao Corpo de Bombeiros Voluntários de Oliveira de Frades”, escreveu o governante que tem a pasta da Protecção Civil.

Eduardo Cabrita acrescenta como nota final: “Neste momento de consternação para todos os portugueses relembro, com enorme gratidão, a forma generosa, profissional e sempre abnegada com que, todos os dias, milhares de bombeiros integram este esforço nacional de defesa da floresta contra os incêndios”.