Alguns meses antes de falecer, a criança tinha dado a entender que sofria abusos dos pais.

Uma mulher, residente no estado norte-americano de Illinois, acusada de tirar a vida ao próprio filho de cinco anos, declarou-se culpada do crime. Poderá enfrentar uma pena de prisão de 20 a 60 anos.

JoAnn Cunningham, a mãe de 36 anos, tinha-se declarado inocente, no entanto, esta quinta-feira, confessou ter tirado a vida ao filho. Também Andrew Freud, o pai da criança, é acusado do homicídio da criança, mas continua a afirmar que é inocente.

De acordo com a imprensa norte-americana, o caso remonta ao passado mês de abril. Segundo a acusação, a criança foi obrigada a tomar um banho de água fria durante um longo período de tempo, depois de ter sujado a roupa, e espancada até à morte.

O corpo de AJ Freund, o menino de cinco anos, foi encontrado embrulhado em plástico, numa cova com pouca profunda, uma semana depois dos pais comunicarem à polícia que o filho se encontrava desaparecido.

Alguns meses antes, a criança já tinha dado a entender a um médico que sofria de abusos por parte dos pais. As autoridades informaram que o menino sofreu vários traumas e foi vítimas de negligência durante a sua curta vida. A família vivia numa habitação que, segundo a polícia, “cheirava a fezes e a urina”.

DEIXE A SUA OPINIÃO