Pai e filha perdem a vida afogados a caminho dos Estados Unidos

Jovem de 26 anos tentava atravessar o Rio Grande com a sua filha, de apenas 23 meses, para chegar ao Texas, EUA.

A fotografia de um pai, Alberto Ramírez, com a sua filha menor, Valeria, de 23 meses, presa aos ombros quando tentavam atravessar o Rio Grande para entrar clandestinamente nos Estados Unidos da América, está a causar uma onda de indignação por todo o Mundo.

A imagem dramática é já comparada com a famosa fotografia de Alan Kurdi, o menino sírio de três anos que perdeu a vida afogado no ano de 2015 ao largo da ilha grega de Kos.

Julia Le duc, uma jornalista, conta como se deu o triste desfecho: “Ele passou primeiro com a menina e deixou-a no lado americano. Depois voltou para ajudar a mulher, mas a filha entrou na água atrás dele. Quando voltou para trás para a salvar, a corrente arrastou-os”.

As vítimas são Alberto Martínez Ramírez, salvadorenho de 26 anos, e Valeria, a filha com apenas 23 meses de idade. A família em El Salvador afirma que Alberto decidiu arriscar a vida no rio por recear que as políticas contra a imigração do atual presidente dos Estados Unidos se tornassem ainda mais duras.

Atualmente os requerentes de asilo são forçados a esperar no México pela decisão sobre os seus casos, que chega a demorar anos e é frequentemente negativa.




Artigos relacionados