O último adeus aos 9 familiares que morreram numa emboscada de um cartel de droga

Três mães e nove filhos foram assassinados depois de caírem numa emboscada dos membros de um cartel de droga.

Nove americanos, incluindo seis crianças, foram foram assassinadas na segunda-feira. Os funerais das vítimas realizaram-se na quinta-feira.

O enterro ocorreu no jazigo da comunidade mórmon de Galeana no final da tarde, num ambiente de grande tristeza e sentimento de impotência.

“Acabámos de enterrar a minha prima Rhonita e os seus filhos (…). Agora queremos justiça, que encontrem os responsáveis. Queremos também que o que aconteceu connosco ilustre o que tem passado há uma década em todo o país”, disse LeBarón sobre a violência no México.

Um dia antes, familiares e amigos da comunidade mórmon, provenientes de diversas partes dos Estados Unidos, despediram-se de Dawna Langford, uma das três mulheres falecidas no ataque, e dos seus dois filhos.

Adrián LeBarón, pai de Rhonita Miller, contou na quinta-feira, no primeiro funeral das vítimas, que questionou a governadora de Sonora, Claudia Pavlovich, pelas mais de sete horas que as forças armadas levaram para chegar ao local do ataque.

Segundo as autoridades mexicanas, as vítimas teriam sido confundidas com um grupo rival do cartel La Línea, mas parentes – que lutaram contra os grupos criminosos que tomaram conta da área – insistem que foi um ataque deliberado.

A família recebeu proteção das forças de segurança mexicanas durante as cerimónias fúnebres, contudo, temem o que pode acontecer quando deixarem de ter a proteção destas forças.




Artigos relacionados