Alice Marina Meireles Teixeira, enfermeira na unidade hospitalar de São João, faleceu esta quinta-feira, aos 35 anos de idade, vítima de depressão.

Nas redes sociais, foram vários os amigos e conhecidos de Alice que lamentaram e homenagearam a enfermeira que, num momento de fragilidade emocional, pôs termo à própria vida.

“ALICE.

Não vivia no País das Maravilhas.
Vivia lado a lado com a parte escura desta sociedade, deste governo, destes medos e vivia também ao lado do sofrimento dos outros.

Era por eles que Alice vivia e trabalhava.
Nova.
Uma vida pela frente.

Alice segurou-se de pé, firme, entre normas e protocolos urgentes a cumprir e a necessidade de salvar vidas, para cumprir a sua maior missão: salvar a vida dos outros!
Alice estava de pé.
Esteve sempre enquanto o vento assobiou da cabeça aos pés, num Março e Abril que mais ninguém esquecerá.
Muito menos Alice que esteve na …linha da frente.

Uma linha da frente que poucos saberão como ” nós”.
Os medos vários de tudo e de todos.
E que ainda assim se multiplicava a magia das Alices, espalhadas pelo mundo fora, numa resistência única de quem quer é cuidar e salvar pessoas!

Alice não aguentou mais.
Perdeu a magia. O encanto do seu exterior, mas sobretudo perdeu a magia da sua alma.
Alice deixou de acreditar num país e num mundo que deixou de lado quase tudo em prol de uma só tempestade, chamada COVID 19.
Alice precisava de ajuda.

Alice desistiu de si.
De tudo e de todos.
Não se salvou a vida de Alice.
Porque ninguém viu e ninguém vai continuar querer ver.

Deixaram de importar as Alices que cuidam, cuidaram e agora se esmagam nas suas últimas forças ou medos.

Alice era UMA DE NÓS.
Uma guerreira sem CAPA.

Ficam as forças de ALICE e o legado da sua garra enquanto lutou para que outros não caíssem.
A sua magia vai continuar viva porque é disso que reza a história.

Descansa em Paz Alice✨”, pode ler-se num texto escrito por Alexandra Ferreira e partilhado milhares de vezes nas redes sociais.