fbpx

Mulher tira a vida às filhas porque atrapalhavam a sua vida sexual

Louise Porton foi condenada nesta sexta-feira (2/7) por uma juíza de Birmingham (Inglaterra) a prisão perpétua pela morte das duas filhas, Lexi, de 3 anos, e Scarlett, de 1 ano e 5 meses. A inglesa alegou que as duas “atrapalhavam a sua vida sexual com homens”.

Louise matou Lexi, a 15 janeiro de 2018. No julgamento, foi revelado que, apenas um dia após a morte, a mulher aceitou 41 pedidos de encontros numa aplicação para relacionamentos, revelou a reportagem do “Independent”.

A mulher havia tentado matar a filha uma semana antes. Quando a menina estava hospitalizada, a mãe tirou fotos seminuas nas casas de banho do hospital e chegou a ter relações por dinheiro com homens que tinha conhecido através da internet.

No dia 1 de fevereiro, Louise matou a filha mais nova. Durante o enterro, a inglesa foi vista a conversar animadamente ao telemóvel com um homem.

Terá sufocado a filha de 3 anos, e estrangulado a outra, de 16 meses, antes de ligar para o número de emergência. Quando os socorristas chegaram, estranharam ela não parecer muito preocupada. Mais tarde soube-se que no dia seguinte tinha aceite pedidos de amizade num site de encontros.

Meses depois, Louise anunciou num grupo no Facebook as roupas das meninas para venda:

A inglesa, que se diz ser modelo, passará ao menos 32 anos na cadeia. Depois, ela ficará elegível à liberdade condicional.

Na saída do tribunal em Birmigham, o pai das meninas, Chris Draper, mostrou-se furioso.

“Nenhuma punição jamais será o bastante, nunca terei as meninas de volta. Porque é que ela fez isto às minhas lindas filhas?”, disse ele.




Artigos relacionados