fbpx

Militar da GNR suicida-se com arma de serviço, esta tarde em Coimbra

É o segundo caso de uma força de segurança a acabar com a própria vida, esta semana.

De acordo com fonte da Guarda Nacional Republicana, o militar foi encontrado inanimado nas instalações do destacamento, tendo sido logo acionados os meios de emergência médica.

Apesar da prontidão dos serviços de socorro, a situação já estava irreversível e o óbito do militar foi declarado no local. O homem, de 45 anos de idade, era militar da GNR há 22 anos.

Em apenas quatro dias, é o segundo caso de uma força de segurança que acaba com a própria vida. Na madrugada de domingo foi um agente da PSP, destacado na esquadra do Aeroporto Internacional Cristiano Ronaldo, na Madeira, que colocou termo à vida.

Tal como no primeiro caso, também este o polícia, com cerca de 40 anos, acabou com a própria vida com recurso a uma arma de serviço das instalações policiais.

“Um drama que não tem fim! Se as juntas da polícia tivessem em conta os relatórios dos especialistas (psiquiatras), muitos suicídios eram evitados, mas como nenhum destes médicos tem competência para decidir sobre estes relatórios, bem como outros de diversas especialidades, continuamos com esta e outras situações dramáticas”, exprimiu Peixoto Rodrigues, do Sindicato Unificado da Polícia.




Artigos relacionados