fbpx

Militar da GNR dá voz de prisão a chefe dos bombeiros em pleno incêndio

Militar dos GIPS da GNR prendeu chefe dos canarinhas em pleno combate ao incêndio em Castelo Branco.

Está ao rubro a ‘guerra’ entre os bombeiros e os militares da GNR no combate aos incêndios rurais.

Esta luta entre as diferentes forças de combate que integram o dispositivo conheceu esta quarta-feira um novo episódio quando um elemento da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da GNR deu voz de prisão ao chefe da Força Especial de Bombeiros de Castelo Branco, durante o combate ao incêndio que deflagrou em Sobral do Campo, naquele concelho, num dos incêndios verificados esta quarta-feira.

Os dois elementos ter-se-ão desentendido em pleno combate devido “a divergências operacionais”. A situação acabou por causar enorme mal-estar entre as forças numa altura “muito crítica” no combate a este incêndio, que mobilizou 10 meios aéreos e mais de 250 operacionais.

O chefe dos canarinhos, Arlindo André, acabou por ser identificado pela força policial e depois voltou ao combate às chamas, tal como o militar da GNR com quem se desentendeu.

Sabe-se que durante o combate aos incêndios deste ano têm acontecido vários episódios entre bombeiros e GNR. Na semana passada, num incêndio em Tabuaço, os bombeiros pediram ajuda a um grupo de militares da GNR para a recolha de 45 lanços de mangueira mas estes ter-se-ão negado a fazê-lo.




Artigos relacionados