fbpx

Menino português de 4 anos foi asfixiado pelo próprio pai antes de ser atirado ao rio

A mãe do pequeno Tomás chegou a realizar no total quatro queixas às autoridades.

As autoridades suíças confirmaram esta segunda-feira que o corpo encontrado no rio Ródano no domingo pertence ao pai de Tomás, António Amadeu, de 40 anos, o homem que tirou a vida ao filho com as próprias mãos e depois o atirou ao rio.

De acordo com as autoridades suíças, citado pelo Correio da Manhã, há indícios que apontam que o menino tenha sido asfixiado e depois atirado para o rio.

Após o crime, o pai pôs termo à própria vida, e as autoridades demoraram uma semana para encontrar o seu corpo.

Eloine Duarte, a mãe de Tomás, fez ao longo dos últimos meses quatro queixas contra o ex-companheiro de quem estava separada, contudo, as queixas acabaram arquivadas “por serem tardias”.

Eloine não se conforma: “Nós demos o alerta. O assassino nunca escondeu as suas intenções”, desabafou a mulher numa marcha branca realizada no passado domingo.

Apesar das várias queixas de violência doméstica e do pedido de proteção, o tribunal permitiu que o pai, porteiro na Suíça, tivesse direito a passar os fins de semana com o filho, até que no último fim de semana de 21 e 22 de setembro, o homem matou o filho, como ato de vingança pela separação da ex-companheira.




Artigos relacionados