A polícia de Elk River, uma cidade no estado de Minnesota, nos Estados Unidos, foi chamada a um complexo de apartamentos da Elk River Station, onde encontraram Autumn Hallow, uma menina de 8 anos, inanimada. Os primeiros socorros que se deslocaram ao local ainda tentaram reanimar a menina mas já nada conseguiram fazer para a salvar.

Sarah Hallow e o marido Brett Hallow, de 30 anos, foram presos no dia seguinte e acusados ​​de homicídio em primeiro grau e homicídio culposo. A dupla está detida sem fiança, de acordo com a revista People.

Após a autópsia, concluiu-se que a menina morreu às mãos dos pais. O relatório da autópsia indica um traumatismo craniano e apontou a asfixia para a provável causa de morte.

A queixa criminal afirma que as autoridades repararam que Autumn estava “extremamente debilitada e magra” e, apesar de Sarah Hallow alegar que tinha encontrado Autumn de bruços na banheira naquele dia, os agentes também disseram que a sua pele estava seca e o seu cabelo estava apenas humido quando a encontraram.

A queixa afirma ainda que a mãe de Autumn disse às autoridades que a filha tinha ido tomar um banho, mas quando foi verificar como estava a menina de oito anos, 40 minutos depois, encontrou o seu rosto na água.

No entanto, Autumn também tinha cortes e marcas na testa, bem como vários hematomas, e os dedos estavam azuis quando os polícias a encontraram, disse um porta voz.

Após a detenção dos pais, os irmãos da menina foram entrevistados. O irmão de seis anos disse que os pais usaram um cinto castanho para amarrar Autumn e colocá-la num saco de dormir vermelho, que transportaram para quartos diferentes e para a banheira. Ele disse que a amarrariam sempre que ela se comportasse mal ou urinasse nas roupas.

A denúncia também diz que seu filho ouviu um grande estrondo vindo do banheiro na mesma manhã em que Autumn foi encontrada sem vida, quando Sarah e Brett estavam no banheiro com Autumn. A irmã de 10 anos também afirma ter visto sangue na banheira e apercebeu-se que Autumn não respirava.