Uma menina de oito anos que trabalhava ilegalmente como empregada doméstica foi assassinada por um dos seus empregadores.

O caso aconteceu na cidade de Rawalpindi, no Paquistão. Segundo a polícia local, a menina Zohra teria aberto a gaiola dos papagaios de estimação da família para alimentá-los, mas os animais escaparam.

Após o crime, a pequena Zahara foi deixada em estado crítico no hospital por Hassan Siddiqui, que disse que a menina era sua “empregada doméstica” e fugiu do local em seguida.

Os profissionais de saúde alertaram as autoridades que rapidamente identificaram o homem que a tinha deixado no hospital. No Paquistão empregar menores de 15 anos é ano, contudo a prática é comum naquele País.

Segundo o que o avô da criança relatou à BBC, Zahara não recebia qualquer pagamento pelo trabalho. “Ele prometeu que a educava e a ensinava, nós não tínhamos dinheiro para a colocar na escola, por isso aceitámos”, contou.

No relatório inicial, a polícia diz que “a vítima foi levada ao hospital e ainda estava viva. Apresentava ferimentos no rosto, nas mãos, abaixo da caixa torácica e nas pernas. Também tinha ferimentos nas coxas, o que sugeria que ela poderia ter sido agredida sexualmente”.

O homicida, Hassan Siddiqui, assim como a namorada, foram detidos e estão em prisão preventiva. Serão sujeitos a um teste de polígrafo para confirmar a história que relatam.

DEIXE A SUA OPINIÃO