Uma mulher de Tóquio foi detida na terça-feira por suspeita de deixar a filha de 3 anos sozinha em casa por mais de uma semana, para visitar o namorado a mais de 700 km de distância.

Uma amiga de Kakehashi contou à polícia: “Ela saiu de casa por vários dias e voltou tarde à noite, deixando a filha sozinha este tempo todo”, revelou fonte de investigação.

Os resultados da autópsia mostraram que Noa morreu de grave desidratação e fome. A mãe é suspeita de deixá-la sozinha em casa por oito dias no início de junho, enquanto visitava o namorado na província de Kagoshima, segundo uma fonte de investigação.

Kakehashi disse aos investigadores que não esperava que Noa morresse, pois pensava que “seria bom” deixar a criança sozinha no seu apartamento em Ota, Tóquio, onde as duas moravam sozinhas desde julho de 2017, após o divórcio do pai de Noa.

A mãe fez uma chamada de de emergência ao voltar da viagem a 13 de junho, alegando que Noa não estava a respirar. Mais tarde, Noa foi declarada morta no hospital.

A vítima teve atrofia tímica, geralmente observada em crianças vítimas de abuso ou negligência, e o estômago estava quase vazio, adiantou a mesma fonte.

Noa sofreu uma erupção cutânea no traseiro, já que a sua fralda não tinha sido mudada durante dias, e o apartamento tinha grandes quantidades de lixo espalhadas em redor.

Durante o interrogatório voluntário antes da ser detida, Kakehashi disse inicialmente que Noa tinha ficado doente vários dias antes da sua morte, mas não tinha dinheiro para levá-la a um hospital para ser tratada.

Kakehashi foi presa na passada terça-feira, após um mês de investigações.

DEIXE A SUA OPINIÃO