Bebé foi encontrado por alguns trabalhadores que se encontravam a pintar o prédio.

As autoridades judiciárias de Lisboa já desvendaram o que aconteceu ao bebé que foi encontrado morto por pintores numa floreira de um apartamento em Torres Vedras, a 31 de agosto.

A Polícia Judiciária concluiu que o bebé pertence a uma menina de 15 anos grávida que deu à luz sem o auxilio de ninguém, algum tempo antes do fim da gravidez. A menor escondeu a gravidez dos pais e estes não se terão apercebido de nada. Depois de dar à luz, a jovem escondeu o bebé entre um a dois dias no roupeiro do quarto.

Sem saber o que fazer, a menor tirou o bebé do roupeiro e levou-o para uma floreira do apartamento que era raramente visitada pelos donos. Foi por acaso que os operários de construção civil que iam pintar o prédio descobriram os restos mortais do bebé.

As autoridades judiciárias já têm pistas sobre o homem que engravidou a menor, faltando apenas concluir os testes de ADN para identificar o homem formalmente.

O caso foi comunicado ao tribunal de família e menores de Torres Vedras, já que a menor não pode ser punida devido à sua idade. Por decisão judicial, a mesma incorre a um internamento num colégio de correção. Até ao momento, continua a viver com os pais.