Uma mulher, acusada de matar a própria filha, uma menina de três anos, após agredi-la com um martelo, está em estado crítico, após tentar tirar a sua própria vida. O caso, ocorrido em Kirovgard, na Rússia, está a chocar o mundo.

A mãe terá atacado a filha depois de tomar uma quantidade exagerada de antidepressivos quando se encontrava sozinha com ela no apartamento da família, na passada sexta-feira.

Natalia acabou por ter que ser levada para o hospital depois de tentar cometer suicídio, ficando em estado muito grave. “Não conseguiu levar o plano até ao fim porque o marido chegou a casa e chamou serviços de emergência e autoridades” adiantou Valeriy Gorelykh, porta-voz da polícia local, aos jornalistas.

As autoridades iniciaram uma investigação, e caso a mulher seja condenada pelo homicídio, poderá enfrentar uma pena de até 20 anos de prisão, ainda que estivesse sob efeito de medicação.

“Antes da tragédia, a mãe tomou uma quantidade muito maior de medicamentos do que o que devia. Isso poderia provocar o comportamento agressivo contra a criança”, adianta o porta-voz da polícia sobre as investigações.

A tragédia deixou os familiares e os amigos de Natalia em choque, e garantem que a mãe, apesar da depressão, desempenhava bem o seu papel e era sempre muito cuidadosa.