Helena Anacleto, de 34 anos, tinha revelado à uma amiga que tinha medo de denunciar a violência por parte do companheiro, Adilson Venâncio, pois estava em processo de legalização em Portugal.

As agressões acabaram por culminar na morte da mulher, após o Adilson degolá-la com recurso a um x-ato.

O crime realizou-se na presença dos filhos dela, de 2 e 6 anos, em dezembro do ano passado, em Leiria. O Ministério Público já acusou Adilson do crime de homicídio qualificado e começa a ser julgado a 24 de novembro.

O homem, de 35 anos, também de nacionalidade brasileira ficou em prisão preventiva desde o crime, que ocorreu numa das torres do Centro Comercial Maringá.

O suspeito trabalhava no setor da construção civil, não é o pai das crianças e a vítima trabalhava num café, perto de casa. O homicídio teria acontecido como resultado de problemas conjugais.

O casal envolveu-se numa discussão na casa de banho quando Adilson golpeou a vítima no pescoço, pelas costas. Terá fugido do local de carro, mas acabou por sofrer um acidente e detido pela GNR.