A jovem americana Chrystul Kizer, de 19 anos, foi condenada a prisão perpétua pela Justiça de Wisconsin por matar Randy Volar, 33, que a violou múltiplas vezes e a vendeu ao tráfico sexual quando ela tinha apenas 16 anos.

A jovem confessou o crime e alegou legítima defesa, mas o argumento não foi aceite pelo juiz do caso.

O caso aconteceu em Kenosha, Wisconsin, a cerca de 64 quilómetros a sul de Milwaukee, em junho de 2018.

Kizer disparou duas vezes sobre a cabeça de Volar, e de seguida incendiou-lhe a casa e roubou-lhe o seu carro, revelaram as autoridades.

Quando confrontada pela polícia, Kizer, que tinha 17 anos na altura, supostamente confessou ter matado Volar por estava cansada das agressões sexuais.

A jovem alegou ainda que ele a vendeu a outros homens por sexo, razão pela qual os seus advogados dizem que ela deveria ser protegida pelas leis de vítimas de tráfico sexual.