José Castelo Branco foi acusado de furto no aeroporto de Lisboa.

Socialite admitiu que tinha dentro da mala o perfume do qual foi acusado de ter furtado, esta quarta-feira, dia 11 de dezembro, numa loja do aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

José Castelo Branco foi acusado de ter furtado um frasco de perfume, tendo estado presente esta quinta-feira no Campus da Justiça, em Lisboa, para responder perante um juiz às acusações das quais é alvo.

José ficou em silêncio à entrada e saída do tribunal, mas durante a tarde desta quinta-feira acabou por fazer um direto para as redes sociais onde explica a sua versão dos factos.

O socialite garante que quis comprar tabaco e, “inadvertidamente”, mexeu na carteira de ombro para “tirar o cartão de crédito” de forma a pagar o maço. Foi nesse momento que decidiu que se queria perfumar com a fragrância que costuma utilizar. “O perfume caiu para dentro da carteira e eu não vi”, afirma.

Pouco tempo depois, acabou por ser abordado por uma funcionária da loja, que lhe pediu para ver a mala de mão e o necessaire. José Castelo Branco tinha dentro da mala o frasco de perfume e sublinha que só quando a abriu o necessaire é que reparou que tinha um perfume a mais, sendo que um deles pertencia à loja. “Eu disse-lhes que pagava, que tinha sido engano”, justificou.