Prédio onde ocorreu o desacato familiar.

Homem de 45 anos desferiu vários golpes na própria mãe, na Póvoa de Varzim.

Paulo Jorge Nunes, de 45 anos, sujeitava a mãe a maus tratos na residência onde ambos viviam. Os episódios começaram há mais de 18 anos e o homem era ainda bastante agressivo com a irmã e o cunhado.

Paulo, que tem problemas com o consumo de álcool, chegou a apontar a faca à mãe, Emília Simões, de 78 anos e, em maio de 2019, agrediu-a, tendo a mulher caído no chão. Cerca de um mês depois desse episódio, tirou a vida à própria mãe, no sofá, com sete facadas.

O homem de 45 anos, afirma, no processo, que só se lembra da idosa estar a “embirrar” com ele por não trabalhar. Paulo Jorge está agora acusado de um crime de homicídio qualificado, outro de violência dom~estica na forma agravada e ainda mais dois de ameaça agravada.

Quando o mesmo foi detido pelas autoridades, apresentava uma taxa de 1,94 g/l de álcool no sangue. A acusação revela que, após o homicídio cometido na rua Alberto Sampaio, o homem saiu da habitação na posse da faca com a qual cometeu o crime e dirigiu-se à esquadra da PSP, por volta das 21h00. Entregou a arma e confessou o que fez.

Na altura, apresentava um discurso desorientado, não tinha documentos e a faca não apresentava qualquer vestígio de sangue. Foi encaminhado para uma ala psiquiátrica. Por coincidência, a irmã do arguido foi à mesma esquadra retirar uma queixa que tinha contra ele e, assim, acabou por ajudar a PSP a identificar o arguido.

O homem alegou sempre que não se lembra do momento do crime. A última memória que tem é da idosa a embirrar consigo. Está em preventiva.

DEIXE A SUA OPINIÃO