fbpx

Famílias ciganas exigem que obras só comecem às 10 horas por causa do barulho, em Tomar

Famílias de etnia cigano que moram em barracas à entrada da cidade, perto do local em obras, na Avenida D. Nuno Alvares Pereira, em Tomar, revoltaram-se com o caso e decidiram iniciar um protesto insólito.

Quando as obras começaram, durante a semana passada, os trabalhos iniciavam-se todos os dias às 8 horas da manhã, como é habitual na construção civil.

No entanto, várias famílias de etnia cigana decidiram iniciar um protesto devido ao barulho proveniente do local em obras, exigindo que os trabalhos só comecem pelas 10 horas da manhã, reivindicação que foi aceite pelo empreiteiro e pela câmara.

Um morador enviou a seguinte mensagem ao jornal Tomar na Rede:

“As obras na avenida D. Nuno Alvares já iniciaram como é do conhecimento. Na semana passada as obras iniciaram com o horário das 8 horas como é normal nestes casos, e em qualquer obra em Portugal. Acontece que os trabalhadores da obra na passada quarta-feira foram surpreendidos com uma exigência de membros da etnia cigana, queixando-se do barulho e que a obra deveria iniciar por volta das 10 horas. A razão para isto foi o barulho que afeta uma menina de 8 meses, e não deixa dormir.

Esta informação chegou aos responsáveis da empreitada que comunicaram ao Município.

Na quinta-feira a obra iniciou-se tal como os senhores pediram às 10 horas, e tem iniciado desde esse tempo a partir dessa hora.

Os trabalhadores vêm todos os dias da Lousã, com medo de represálias não querem ter polícia por perto. Existe um clima de medo na obra, até porque há intervenções não só na estrada como também nas zonas laterais, entre as quais junto ao “terreno das famílias ciganas” que dizem ser deles por direito.

Como morador, fico revoltado com o insólito da situação mas principalmente com a inércia da autarquia quanto a esta situação.

Ainda para mais aceder tal pedido a pessoas que não respeitam ninguém, e que regularmente têm música em alto e bom som pelas noites foras, onde as pessoas têm de mudar de quarto para poder dormir, caso contrário ninguém faz nada.

Através desta situação podemos concluir o grau de poder e influência que estas pessoas têm”.




Artigos relacionados