fbpx

Estado paga até 6500 euros aos emigrantes ou luso-descendentes que regressem a Portugal

O Governo decidiu que irá apoiar as famílias de emigrantes que queiram regressar com um montante que pode rondar os 6500 euros. A medida irá servir como incentivo financeiro para quem prove início de atividade laboral e inclui comparticipação das despesas de transporte de bens, de custos de viagens e ainda uma majoração para reconhecimento de qualidades académicas.

O Governou orçamentou 10 milhões de euros para esta medida, mas o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) “está preparado para adequar o orçamento à procura, ou seja, esse valor pode ser reforçado”, comunica o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Cumprindo-se o patamar, o universo dos candidatos estaria limitado a um número próximo dos 1500 (1530 se todos fossem elegíveis para o valor máximo).

A este programa , poderão candidatar-se aqueles que saíram de Portugal até 31 de dezembro de 2015, que viveram fora pelo menos 12 meses e que iniciem a atividade laboral em Portugal continental entre 1 de janeiro de 2019 e 31 de dezembro de 2020, mediante a celebração de um contrato de trabalho por conta de outrem. Também os luso-descendentes estão incluídos nesta iniciativa segundo adianta o Público.




Artigos relacionados