António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa enalteceram o esforço dos portugueses no combate à Pandemia, que contribuiu para a realização da final da Champions League em Lisboa, o que o Primeiro Ministro considerou ser “um prémio aos profissionais de saúde”.

As palavras de António Costa caíram muito mal entre os diversos profissionais de saúde, que já manifestaram o seu desagrado.

Nuno Moreira, enfermeiro do Hospital Curry Cabral, deixou a sua reação nas redes sociais, e considerou as palavras do Primeiro Ministro uma “afronta” aos profissionais de saúde e portugueses.

“Ontem estive de folga. (Algo que não aconteceu muitas vezes durante estes últimos meses.) Tinha tudo para ser um dia bom, mas a angústia e a revolta tomaram-me por inteiro. Fui confrontado com o que desde sempre soube ser uma possibilidade: o possível contágio.

Felizmente não se confirmou. A angústia passou, mas ficou a revolta. A revolta atiçada pelo sentimento de injustiça, ao ver o Primeiro Ministro António Costa a ter a ousadia de verbalizar que a a realização da final da champions league em Portugal, mais precisamente em Lisboa, é um prémio aos profissionais de saúde.

Ainda que “inocentemente” tentasse prestar uma homenagem simbólica, ainda que o tenha dito em sentido figurado e com toda a retórica política possível e imaginaria, é uma afronta. Uma afronta a todos, a todos os profissionais de saúde, mas também a todos os portugueses, ao tentar que numa espécie de acto de magia, se consiga convencer um país, um continente, uma Europa, de que tudo está bem.

Não está tudo bem. Mas mais uma vez, cá estaremos, para fazer tudo o que está ao nosso alcance, para que tudo fique bem. Contem connosco, mas não como nós podemos contar com o Governo de Portugal…

Nem sequer para nos dignificar condignamente. É necessário mais, é importante que seja bastante mais, pela saúde de todos nós, nunca será demais.

Cuidem-se e protejam-se!” escreveu o profissional de saúde, que conta já com muitas mensagens de apoio.

DEIXE A SUA OPINIÃO