Um homem de 68 anos, seguia muito acima do limite de velocidade numa altura em que embateu contra um carro-patrulha da GNR, provocando a morte de ambos os militares que se encontravam no interior do veículo.

Os elementos da GNR ficaram em paragem cardiorrespiratória, mas os profissionais de socorro do INEM conseguiram reverter o estado de saúde com recurso a um desfibrilhador. No dia, ja internados no hospital, acabaram por não resistir aos ferimentos e perderam a vida.

Um dos agentes era um jovem de 27 anos, Carlos Pereira, que namorava há muitos anos com a atual companheira, filha de um antigo militar da GNR. Decidiram começar a viver juntos na Covilhã e antecipavam o primeiro filho, que irá nascer em menos de dois meses.

O bebé será a única herdeira dos bens que o pai deixou para trás, e da indemnização que a GNR terá de pagar por se tratar de uma morte durante o serviço, serão aproximadamente 150 mil euros.

O jovem tinha ainda um empréstimo nos Serviços Sociais da GNR que contraiu quando foi viver com a companheira, dívida que que ficou automaticamente soldada com a sua morte.

O corpo do agente deverá sair da morgue esta quinta-feira para que a família possa realizar as cerimónia fúnebres

DEIXE A SUA OPINIÃO