Carta expõe uma dura crítica à sociedade após o recém nascido ter sido abandonado no lixo

A Colossal Magazine deixou no facebook uma crítica à sociedade e à jovem que deixou o bebé recém nascido no ecoponto.

“Quando vi a notícia que uma mãe de 22 anos abandonou o seu filho recém-nascido no lixo todos em Portugal ficaram muito chocados e admirados mas eu não.

Esta mãe sem abrigo vive num mundo onde o aborto é permitido, num mundo onde que lhe dizem que o seu corpo é mais importante que o do filho que traz no ventre, quando na verdade é tão importante como o seu, num mundo onde se pode fazer tudo (até um rapaz pode ir a um wc ou balneário que antigamente era só para raparigas só porque não se sente bem no seu próprio corpo), num mundo onde um homem/mulher mata o seu companheiro/a apenas porque tem ciúmes, num mundo onde o desrespeito pela vida e pelas pessoas é cada vez maior, num mundo onde ninguém aprendeu nada com os erros do passado onde limpezas étnicas foram perpetradas por líderes mundiais onde o se achavam no direito de tentar extinguir um povo só porque era de raça diferente, num país onde se alguém matar 1 pessoa ou 20 recebe apenas, só 25 e só 25 anos de prisão.

Para mim , e depois de ver e saber isto tudo é muito natural que esta mãe se ache no direito de abandonar o seu filho no lixo por não ter condições de cuidar dele pois neste mundo onde lhe é dito que o seu corpo é o mais importante, é perfeitamente natural que ela (que não tem condições de cuidar de um filho) ache que a sua vida é mais importante que a de um ser vivo que ainda nem consciência tem.

Por esta e por outras razões é que cada vez mais as religiões extremistas e não só estão, infelizmente, a ganhar cada vez mais adeptos. Religiões que são contra o aborto e consequentemente contra os direitos das mulheres (em países onde nem sequer podem mostrar a cara ou o corpo, muito menos matar um filho)

Ainda assim esta mãe podia ter abandonado o seu filho à porta de um hospital ou à porta de alguém para que pudesse ser encontrado com algum conforto e segurança mas infelizmente este “animal” não o fez ( digo animal mas nem os animais fazem o que ela fez).




Artigos relacionados