Esta mensagem de apoio é dedicada a Pedro Passos Coelho, que vive o momento mais doloroso da sua vida, e mesmo assim, continuam a circular nesta rede social mensagens de ódio para com a sua família.

“Não podia deixar de comentar a monstruosidade e crueldade que algumas pessoas têm vindo a demonstrar nesta rede social, pessoas essas que tanto apregoam amor e solidariedade, mas depois deixam muito a desejar.

Recentemente, Laura Ferreira, esposa do antigo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, faleceu depois de meses em sofrimento no hospital e a família só pede um pouco de reserva e respeito.

Uma família que está a sofrer todos os dias, mas ainda assim nunca perdeu esperança que Laura Ferreira viesse a melhorar. No entanto, infelizmente, como já se sabe, o pior veio a confirmar-se esta terça-feira.

Não se deseja a morte nem ao nosso pior inimigo. Não se deseja o mal das pessoas. Não se pode de forma alguma julgar uma pessoa pelo estatuto do seu cônjuge, pelo que foi, pelo que é, pelo que será. Não se pode de forma alguma ser tão bárbaro nas palavras que magoam, magoam quem as lê e magoam uma família que hoje chora sem saber o dia de amanhã.

Pessoas más. Pessoas sem coração que batem com a mão no peito e vão para a igreja rezar e depois falam mal umas das outras, espezinham; pessoas de mal com a vida que desejam assim o mal ao próximo. É incrível este mundo. Não pode valer de tudo meus senhore(as).

Ao meu caro amigo Pedro Passos Coelho e a toda a sua família mando um abraço apertado e o desejo que consiga encontrar a paz dentro de si, após o falecimento da sua esposa, pela qual nunca deixou de manifestar o seu amor e o seu apoio.

Depois de tantos anos em sofrimento, só podemos desejar que a Drª Laura Ferreira descanse em paz, e que a família tenha força e coragem para ultrapassar da melhor maneira esta enorme perda, sobretudo o Dr. Passos Coelho, e as duas filhas.

A todos aqueles que criticam e desejam o mal destas pessoas, peço muito a Deus que jamais passem pelo mesmo, que encontrem o caminho do bem e que Ele vos ajude, na esperança de retirar esse ódio dentro de vós, que é tão triste, tão desumano, tão cruel…”