Calor foi atrasado por depressão mas chega sábado a Portugal com temperaturas a rondar os 40 graus

Está a deslocar-se para Oeste a massa de ar quente proveniente do Norte de África, o que fará com que as temperaturas máximas cheguem ao interior de Portugal Continente este fim-de-semana, com 38 graus Celsius em Beja e 37 graus Celsius em Évora.

De acordo com a meteorologista Ilda Novo, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), Portugal não foi afetado pela onda de calor que está a atingir a Europa Central devido à influência marítima de uma depressão atmosférica proveniente do Oceano Atlântico, que faz com que o ar se tornasse mais húmido e menos quente. Apesar disso, o calor não tardará a chegar ao nosso país.

Esta massa de ar quente, proveniente do Norte de África (deserto do Saara), que está a causar temperaturas extremas na Alemanha, na Suíça e em França, onde os termómetros registam cerca de 40 graus Celsius, está a deslocar-se para Oeste, fazendo com o que o nosso país ainda seja atingido por grande parte desse calor, sobretudo nas regiões interiores de Portugal.

Este sábado será o dia mais quente – com temperaturas máximas a atingir os 38 graus Celsius (39 graus Celsius em Reguengos de Monsaraz e Barrancos) e os termómetros a marcar os 37 graus Celsius em Beja e em Castelo Branco. Em Portalegre as temperaturas chegarão aos 35 graus Celsius e em Bragança aos 34.

No entanto, as temperaturas no litoral serão mais amenas, com temperaturas máximas de 27 graus Celsius em Lisboa e 24 no Porto, bem como em Viana do Castelo e Leiria.

O calor extremo que se faz sentir na Europa Central, sobretudo em França, nas Baleares, na Alemanha e na Suíça é resultado da massa de ar “quente e persistente”, o que faz com que se registem temperaturas que são consideradas altas não só para os valores de referência destes países como também para esta época do ano, sendo muito intensas para o início deste verão, explica a meteorologista.




Artigos relacionados