Um BMW que seguia entre 170 – 180 km/h fez disparar o radar da A1, pelas 11h36 de terça-feira. Seis quilómetros mais adiante, o veículo embateu contra a GNR que sinalizava a presença de trabalhos de limpeza na berma, no lado esquerdo da via.

Após o acidente, pensou-se que ambos os agentes, a cabo Vânia Martins e o guarda Carlos Pereira, de 30 e 28 anos, estariam mortos, contudo, os profissionais de socorro conseguiram reverter a situação, e foram levados em estado crítico para o hospital.

Os dois militares da GNR acabaram por não resistir aos ferimentos e morrer, confirmaram os colegas dos agentes da autoridade. Carlos Pereira, da Covilhã, e a cabo Vânia Martins, de Proença-a-Nova, morreram ambos na manhã desta quarta-feira.

O Comando Geral da GNR ainda não confirmou oficialmente as duas mortes, apesar de familiares diretos dos dois militares já terem divulgado publicamente os óbitos.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém, as operações de socorro envolveram 32 operacionais, apoiados por 13 viaturas, incluindo a VMER de Santarém e a SIV de Torres Novas.

No local, estiveram cerca de 32 operacionais apoiados por 13 viaturas terrestres, incluindo a VMER de Santarém e a SIV de Torres Novas.

Nas redes sociais são várias as mensagens de condolências direcionadas ao agente que faleceu