Os médicos não sabem ainda se o vírus passou para o bebé no útero ou se foi em algum momento durante ou após o parto.

Um recém-nascido em Londres testou positivo para o novo coronavírus SARS-CoV-2, minutos depois de nascer da mãe que também estava infectada pelo vírus, segundo relata a imprensa inglesa.

Dias antes do parto, a mulher teve de ser internada num hospital por sintomas de pneumonia, e foi nessa altura que foi o seu resultado deu positivo para o vírus que causa o COVID-19. Só depois disso é que deu à luz o bebé, que nasceu no hospital North Middlesex em Enfield, a norte de Londres adiantou o Guardian.

Segundo o The Sun, o bebé foi tratado no hospital, enquanto que a mãe foi transferida para um hospital de doenças infecciosas.

Não se sabe quando a criança contraiu a doença. “Não podemos dizer que aconteceu enquanto o bebé ainda estava no útero”, disse o Dr. William Schaffner, professor de medicina preventiva e doenças infecciosas da Faculdade de Medicina da Universidade Vanderbilt, à Live Science. O bebé também pode ter contraído o vírus durante ou imediatamente após o nascimento, disse Schaffner.

Algumas infecções passam da mãe para o bebé através da placenta da mãe, enquanto o feto ainda se desenvolve no útero ou de fluidos corporais durante o parto. Por exemplo, o vírus Zika – que está noutra família de vírus desse coronavírus – pode passar para os recém-nascidos no útero e durante o parto, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças. Quando passado para um bebé no útero, o vírus Zika pode causar microcefalia e outros defeitos cerebrais graves, disse o CDC.

O primeiro recém-nascido conhecido que testou positivo para SARS-CoV-2 fez o teste 36 horas após o nascimento. Nesse caso, também não ficou claro se a transmissão ocorreu no útero.