Mulher foi agora condenada a dois anos e meio de prisão depois de ter seduzido o menor durante vários meses.

Uma mulher de nacionalidade inglesa foi condenada a dois anos e meio de prisão por vários crimes de abuso sexual cometidos contra um menino de apenas 13 anos de idade.

Leah Cordice, de 20 anos, residente no Reino Unido, era babysitter do menor e chegou a ficar grávida dele. A mãe do rapaz revela que este ficou traumatizado e dificilmente recuperará dos episódios de abuso.

A predadora foi julgada em maio deste ano pelos crimes cometidos em 2017 e condenada a dois anos e meio de prisão. Entretanto, deu à luz uma bebé, filha do rapaz de quem abusou. A bebé acabou por ser entregue para adoção.

A baysitter terá seduzido o menor durante vários meses e, em janeiro de 2017, embriagada, tirou as calças do rapaz e abusou sexualmente dele.

Em pânico, quando descobriu que estava grávida, a mulher disse que o filho era do seu marido. No entanto, a mentira rapidamente foi descoberta mas Leah voltou a mentir e disse que o menor é que a tinha violado. De acordo com a mãe do rapaz, este “ficou em estado de depressão e à beira de um esgotamento” quando a babysitter o acusou dos abusos.

“Ele contou-me que às vezes ela expulsava os amigos dele de nossa casa para poder abusar do meu filho. Eu sempre defendi a Leah quando surgiram rumores de que ela abusava de menores, mas nunca pensei que ela nos fizesse uma coisa destas. Ela era uma amiga da família. Mostrou zero remorsos e destruiu o meu filho. È uma mentirosa compulsiva. Vi a minha neta ser-me retirada, o meu filho ser pai tão novo… Tem sido muito traumático”, revelou a mãe do rapaz à imprensa britânica.